CINEMA – AS DIABÓLICAS

Diabolique

As Diabólicas

Provavelmente quando o diretor britânico Alfred Hitchock apresentou seu famoso filme Psicose (1960) e pediu para a platéia que ficasse com o bico calado e não revelasse o que se passava na primeira meia hora do filme, o diretor certamente  estava copiando a idéia do diretor francês Henri-Georges Clouzot que pediu a platéia a mesma coisa cinco anos antes quando lançou seu filme As Diabólicas. A diferença é que o diretor francês pediu a platéia que não revelasse o final.

Baseado no livro Celle qui N’etait plus de Pierre Boileau e Thomas Narcejac, As Diabólicas conta a história de um triângulo amoroso entre Christina Delassalle (a brasileira Vera Clouzot), Nicole Horner (Simone Signoret) e Michel Delassalle (Paul Meurisse).

Christina, casada com Michel, é constantemente humilhada pelo esposo. Ela é dona de um orfanato onde Michel é uma espécie de diretor geral. Ele é odiado por todas as crianças e temido pelos funcionários. Numa cena antológica, quando todos os funcionários e as crianças estão sentados para almoçar, Michel obriga Christina a comer a comida feita com peixe estragado. Relutantemente ela obedece ao marido. Podemos sentir o temor que sente pelo marido ao engolir o peixe podre.

Christina sabe que seu esposo é o amante de Nicole. Não aguentando mais os abusos e as humilhações que ambas sofrem diáriamente, Nicole convence Christina a matar o marido.

As Diabolicas

Vera Clouzot e Paul Meurisse no filme As Diabólicas dirigido por Henri-Georges Clouzot

Após concretizarem o plano, colocam o corpo de Michel dentro de uma piscina na esperança de que um dos encarregados de limpá-la o encontre. Quando finalmente a piscina é esvaziada para pegar a chave que Christina deixou cair propositadamente, as mulheres descobrem que não havia nenhum corpo. Nicole e Christina entram e pânico.

Após ler num jornal local sobre um corpo encontrado num rio Christina cria coragem e vai até o necrotério para reconhecer o corpo do esposo. Entrtanto, fica chocada quando vê que não é seu marido. Esperando no mesmo local está o inspetor de polícia Fichet (Charles Vanel) que irá ajudá-la a desvendar o mistério sobre desaparecimento do seu esposo.

Atormentada psicológicamente a cada dia que passa, Christina ameaça ir primeiro a um confessionário e depois a polícia. Porém, ela e persuadida por Nicole a desitir deste plano.

Filmado em preto e branco sem os recursos técnicos digitais atuais, As Diabolicas é um grande filme de suspense que prende a platéia até o final inesperado.

Atendendo ao pedido do diretor não abrirei minha boca sobre os últimos trinta minutos.

As Diabólicas

Direção – Henri-Georges Clouzot

Elenco – Vera Clouzot, Simone Signoret e Paul Meurisse

Duração – 107 minutos

EGITO ANTIGO – GRANDE DESCOBERTA.

Egypt Tomb 2

Recente descoberta de uma tumba de 4,400 anos do antigo Egito.

No final de 2018, arqueologistas no Egito descobriram a tumba de um sacerdote egípcio datada de mais de 4 mil anos. Esta tumba foi descoberta em Saqqara, uma cidade ao sul de Cairo onde se encontra uma vasta necrópole datada dos tempos do Egito antigo.

A descoberta é a  do reinado de Neferirkare Kakai, o 3o rei da 5a dinastia do Egito antigo. A 5a dinastia reinou por um pouco menos de 200 anos, desde 2500 anos BC ate 2350 BC, de acordo com as informações disponibilizadas pelo museu Metropolitano da cidade de Nova York.

Com 15 metro de altura e 10 de comprimento, a tumba estava sendo escavada desde novembro. As paredes estão decoradas com hieroglifos coloridos juntamente com estátuas de faraós e desenhos do sacerdote e sua família colocados na tumba.

Old Egypt tomb

Fotografando a grande descoberta egipcia em Dezembro de 2018.

Milhares de anos atrás, Saqquara Kakai, onde a tumba foi encontrada, cujo local se encontra a celebrada pirâmide Step, estava localizado o cemitério de Memphis, a capital do antigo Egito – uma necrópole.

Nos tempos modernos enquanto os arqueologistas tratavam de trazer os mortos da cidade para a luz do dia, tornou-se então uma atração turística com milhares de pessoas admirando as famosas pirâmides e o que sobrou de um maravilhoso mundo antigo. Entretanto, os turistas desapareceram logo depois dos grandes tumultos de 2011 contra o então presidente Hosni Mubarak. Problemas políticos, as bombas e os ataques terroristas que se seguiram tornaram o Egito um destino pouco atraente para o turismo mundial.

Com esta mais nova descoberta as autoridades locais esperam finalmente clarear a imagem do país como um novo destino turístico/NYT