TEORIA DA CONSPIRAÇÃO QUE ATÉ MESMO O PRESIDENTE DONALD TRUMP DUVIDA.

Uma teoria da conspiraçãoem voga na América é a luta do presidente Donald Trump contra um grupo de pedófilos satânicos.

O desespero da equipe do presidente Donald Trump para tentar reverter uma situação irreversível chegou ao máximo do ridículo para não dizer lunática mesmo. Sua equipe jurídica, liderada pelo seu advogado pessoal, o ex prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani, e a advogada de recursos, Sidney Powell, está acusando uma rede internacional malévola de uma grande aliança para derrubar o presidente.

Numa conferência que deixaria extra-terrestres corados; a advogada culpou Cuba, Venezuela, a fundação Clinton, o bilionário George Soros e a Antifa, o movimento de esquerda, de fazerem os votos destinados a Donald Trump simplesmente desaparecerem no último dia 3 de Novembro.

Quando a advogada finalizou sua fala expondo suas extravagantes teorias conspiratórias, o ex prefeito adicionou mais um grupo no caldeirão da conspiração, os ativistas do movimento BLACK LIVES MATTER.

E por incrível que tudo isto possa parecer quem não estava gostando nenhum pouco destas teorias conspiratórias foi o próprio presidente. Entretanto, para Donald Trump, a gota d’àgua que transbordou o copo foi quando a senhora Powell acusou o governador republicano do estado da Georgia, Brian Kemp, e seu secretário de estado, Brad Raffensperger, de terem sido comprados para participarem de sua derrubada.

Apoiadores do presidente Donald Trump e adeptos da teoria da conspiração propagada pelo grupo QANON.

No último final de semana Sidney Powell em entrevista ao canal de televisão pró Trump, o Newsmax, disse que o estado da Georga iria implodir e o secretário de estado implodiria junto.

A última vez que a Georgia votou Democrata foi em 1992 quando ajudou a eleger Bill Clinton como presidente. A advogada é também uma defensora da atual teoria da conspiração do grupo QANON que propaga a idéia de que Donald Trump está lutando contra um grupo de pedófilos satânicos.

Sidey Powell não desiste de sua luta solitária. Ela disse que planeja entrar com um processo contra o estado da Georgia. Não está claro se o processo continuará já que ela recebeu o “la carte rouge” da campanha do Donald Trump. Nem mesmo o presidente norte americano aguentou tantas teorias conspiratórias de arquivo X faladas pela senhora Powell.

ELEIÇÃO NA AMÉRICA DO NORTE.

Eleição norte americana de 2020

Os Estados Unidos votaram para presidente e também para alguns outros cargos políticos imporantes no último dia 3 de Novembro. Era de conhecimento geral que a eleição mais importante seria para presidente, e que os dois principais candidatos disputando o pleito tinham idéias e visões políticas totalmente diferentes.

Se de um lado o candidato Democrata Joe Biden acenava com uma volta a normalidade política e de um mútuo respeito entre os dois principais grupos polticos no país, juntamente com um reingresso dos Estados Unidos a comunidade internacional, principalmente uma reaproximação aos seus antigos aliados da Europa Ocidental, e usando como trunfo durante sua campanha política o seu carácter, sua ética e sua moral, do outro lado o atual presidente Donald Trump buscava nesta sua reeleição não uma maneira mais conciliatória de fazer política ou ser mais tolerante com seus adversários políticos, pelo contrário, sua aposta era de mais enfrentamento, mais demagogia e muito mais mentiras.

Tudo isso sem o menor pudor ou constrangimento. O objetivo do presidente afinal era retornar por mais 4 anos a Casa Branca. Para seus milhares de devotos, não importava que suas mensagens na plataforma Twitter fossem desbancadas e desmentidas pela gigante do mundo virtual. Assim como o larápio Jim Jones na Guiana inglesa em 1978 pediu aos seus devotos que tomassem veneno e se suicidassem, Donald Trump segue pedindo aos seus devotos que não acreditem no resultado final da eleição. Segundo ele próprio afirma, esta eleição foi fraudulenta.

Conservadores como a ex assessora do presidente George W. Bush, Condoleezza Rice, que já mandou uma mensagem pelo Twitter parabenizando Joe Biden e Kamala Harris pela vitória, disse em entrevista ao periódico The Wall Street Journal: Os apoiadores de Trump sentem que o presidente não teve nenhuma chance. “Eu penso que nós temos que respirar fundo. Mais de 70 milhões de pessoas votaram para o presidente Trump, e alguma garantia através do processso que isto foi feito corretamente não é uma má coisa”.

Campanha eleitoral 2020 nos EUA.

Dos mais de 140 milhões de eleitores que foram as urnas ou que enviaram seus votos pelo correio, a maioria decidiu então pelo candidato com uma vasta experiência política em Washington. Segundo a mídia local, Joe Biden, o candidato Democrata ganhou no voto popular bem como no número suficiente de delegados especiais que o catapultaria para assumir o comando do país em Janeiro de 2021. Porém, Donald Trump contrariando todas as evidências se recusa literalmente a aceitar o resutado das urnas. O triste é que políticos no partido republicano aceitam esta grande mentira sem questionar a validade do que o presidente esta dizendo.

Mais de 10 dias após a eleição, o que tem acontecido nos Estados Unidos é uma enxurrada de meias verdades envolvendo fraudes no processo eleitoral do país. Estas mentiras infelizmente estão sendo propagadas não por eleitores insatisfeitos com o resultado final da eleição, mas pelo próprio presidente que não admite sua derrota nas urnas. Várias cortes estaduais onde o presidente, assessorado pelo advogado e ex prefeito de Nova York, o senhor Rudolph Giuliani, afirmando que houve uma grande fraude eleitoral, já jogaram pelas janelas suas tentativas de entrar com algum tipo de processo para uma possível anulação desta eleição.

Os Estados Unidos sempre foram considerados como o grande experimento democrático humano do planeta. Sua Democracia durante mais de dois séculos tem sido invejada por milhões de pessoas ao redor do planeta. Entretanto, o que tem acontecido no país desde que foram encerradas as contagens de votos mostra que toda aquela aparência de lisura e comportamento íntegro não passava de uma grande ilusão. A América juntou-se ao grupo daqueles países que a voz dos eleitores não deve mais ser respeitada ou ouvida.

O que mundo está testemunhando é a mais pura ambição e egoísmo de um neo facista de plantão.