A BRUSCA FREADA DE NOVA YORK.

nyc

Nova York não ficou imune a fúria e força do Corona vírus

Nova York, a poderosa locomotiva econômica e cultural dos Estados Unidos e conhecida mundialmente como a grande  maçã vermelha diminuiu vertiginosamente sua aceleração costumária.

A famosa cidade com mais de 8 milhões de habitantes pisou no freio por conta da pandemia do Corona virus que atingiu em cheio a cidade nos primeiros dias do mês de Março.

Depois de debater intensamente com seus assessores, o prefeito Bill de Blasio, colocou em prática restrições em praticamente todas as atividades econômicas da cidade com a intenção clara de tentar colocar um freio na disseminação do vírus.

No domingo dia 15/3 ele decretou o fechamento de todas as escolas públicas da cidade deixando pais e responsáveis tentanto encontrar um meio de manter estes estudantes em casa. O plano do Departamento de Educação da cidade é iniciar em poucos dias aulas via vídeo conferência.

A quase completa paralisação da cidade era somente uma questão de tempo. Assim que começou a ficar claro que o Corona virus atingiria em cheio a cidade, os teatros da Broadway fecharam suas portas. Isto levou os restaurantes na área da Times Square a acenderem o sinal de alerta. Começava com isto um sunami irreversível. Com os centros culturais fechando, os pontos turisticos e as principais lojas de comércio seguindo o mesmo caminho, não restou outra alternativa ao prefeito a não ser declarar o estado de emergência.

Mayor Bill de Blasio speaks at a Press Conference about COVID-19 and the closing of Public schools in New York, US

Prefeito Bill de Blasio de Nova York

A preocupação do prefeito ficou clara numa de suas entrevistas quando disse: “O que irá acontecer com as pessoas e seu dinheiro? Como eles irão conseguir dinheiro? Como eles conseguirão seus remédios? Na atual conjuntura, como nos certificaremos que o abastecimento será suficiente para a nossa população, principalmente a mais vulnerável?

Até o momento mais de 700 pessoas na cidade já foram infectadas pelo vírus e pelo menos 7 já morreram. Para complicar mais ainda a situação caótica, a agência responsável pelo mêtro, ônibus e os trens suburbanos, a MTA(Metropolitan Transit Authority em Inglês) afirmou que estava buscando ajuda federal de pelo menos US$4 bilhões. O número de passageiros declinou vertiginosamente chegando a mais de 70%. Metrô, trens e ônibus estão praticamente vazios.

New Yorkers wearing masks against corona virus

Novaiorquinos usando mascara contra o Corona vírus

Bill de Blasio disse ainda que as consequências econômicas por causa desta pandemia e paralisação poder ser comparada a Grande Depressão no início do século XX. A cidade poderá deixar de arrecadar mais de US$3 bilhões em receitas e perderá mais de US$1 bilhão em salários na área de turismo, uma das grandes força motriz da cidade. Nova York costuma receber de braços abertos mais de 50 milhões de turistas anualmente.

Funcionários da prefeitura estão prevendo ainda que a epidemia irá ameaçar a área hospitalar por causa da expectativa do aumento de casos na cidade. De acordo com o governador Andrew Cuomo, o estado de Nova York vai precisar de pelo menos mais 55 mil leitos e mais 20 mil leitos de cuidados intensivos.

O governador sugeriu ainda que o Corpo de Engenheiros do Exército seja deslocado para construir dormitórios hospitalares provisórios para lidar com o avanço iminente de mais casos.

Durante o suave inverno de 2020 que está no seu final, muita gente em Nova York reclamou da falta de neve na cidade. Com toda a certeza essas mesmas pessoas prefeririam uma violenta nevasca de um mês com todo os problemas que ela certamente ttaz a cidade do que este vírus que acabou tranformando esta grande locomotiva numa enorme tartaruga. Diferentemente da neve, o Corona virus deixará danos irreparáveis na cidade.

ESTANTE LITERÁRIA – ESPÍRITO INTACTO

Solitary - Albert Woodfox

Como voce se comportaria se soubesse que ficaria confinado a uma penitenciária passando 23 horas por dia dentro de uma cela solitária por mais de 4 décadas?

Foi exatamente isto que aconteceu com o cidadão de nome Albert Woodfox. Quando tinha apenas 25 anos de idade ele foi sentenciado a uma penalidade perpétua dentro de uma solitária. O extraordinário livro Solitary é o seu relato pessoal depois de passar mais de quarenta anos preso na Penitenciária Estadual de Louisiana, mas conhecida como Angol. A reputação da notória penitenciária era tão hedionda que a apelidaram de Alcatraz do Sul.

Após o periodo conhecido como Reconstrução logo após o final da Guerra Civil nos EUA, as oportunidades de ascenção social oferecidas ao cidadãos afroamericanos eram bastantes limitadas. Não era raro que vários jovens sem qualquer perspectivas veredavam pelo caminho da delinquência juvenil indo parar na notória penitenciária.

O adolescente Albert Woodfox certamente era um destes jovens que frequentemente se encontrava preso por causa de pequenos delitos cometidos na cidade de Nova Orleans. Numa dessas suas passagens pela penitenciária ele foi inspirado pela ideologia do Black Panther Party(Partido do Pantera Negra). Albert passou a ler e estudar tudo sobre o partido. Ele ficou fascinado principalmente por causa da plataforma direcionada a justiça social e o codigo de conduta.

O jovem ficou fascinado também com a atitude altamente provocativa do Black Panther Party na California onde seus aderentes carregavam armas abertamente desafiando o então governador do estado e depois presidente, Ronald Reagan.

Louisiana State Penitentiary

Entrada da Prisão Estadual de Louisiana, mais conhecida como Angola.

Quando estava servindo sua sentença de 50 anos por assalto a mão armada, um carcereiro branco foi assassinado. Alberto Woodfox, e um outro membro do Black Panther Party, Herman Wallace, foram imediatamente acusados pelo horrendo crime. Mesmo afirmando sua total inocência diante da corte, Albert Woodfox foi julgado e condenado prisão perpétua com direito a somente uma hora fora da cela. Para ele por causa de seu envolvimento com o Black Panther Party acreditava que tinha servido como boi de piranha para satisfazer as autoridades locais servindo de exemplo. Sem quaquer evidência concreta ligando Albert Woodfox ao crime, o julgamento acabou sendo uma verdadeira farça da justiça .

Foram décadas até que finalmente Albert Woodfox conseguisse um advogado digno. Mesmo assim foram mais dezesseis anos e várias apelações jurídicas até que finalmente ele conseguiu sair da prisão. Quando isto aconteceu em Fevereiro de 2016, Albert Woodfox tinha passado mais de quarenta anos dentro de uma solitária. Ele é o cidadão norte-americano que mais tempo passou dentro de uma solitária.

Albert Woodfox 2

Albert Woodfox agora  um homem livre

 

 

Notávelmente consciente que o ódio ou a amargura teria destruido sua humanidade, ele só conseguiu superar todas essas décadas graças ao compartilhamento dos amigos de celas que também pertenciam ao Black Panther Party. Ele tranformou seu ódio em ativismo e resistência. O Angola 3 como ficou conhecido por causa de sua amizade com os prisioneiros, Herman Wallace e Robert King, resolveram não entregar os pontos mesmo sob as condições subhumanas que estavam sendo submetidos. Durante décadas eles foram mantidos como prisioneiros políticos.

Albert Woodfox sobreviveu para nos contar em detalhes tudo sobre seus mais de quarenta anos dentro de uma solitária. O livro é uma crônica de raro poder de humanidade mostrando sem dúvida alguma que os melhores espíritos da nossa natureza podem sim sobreviver contra todas as probabilidades

Solitary

Albert Woodfox

Editora – Grove Press

Páginas – 418

Preço – US$26.00