21 de Abril de 1990. A Chegada.

Ao me aproximar da pista de aterrisagem, ainda era possivel observar pela janela do aviao um pouco da neve no topo das pequenas casas. O rigoroso inverno tinha ficado para tras, mas eu ainda podia ver a neve, e isto me mostrou que a temperatura na cidade era completamente diferente daquela que eu havia deixado algumas horas atras.

Depois que o aviao desligou suas turbinas, e aos passageiros foi permitido levantarem-se e pegarem suas bagagens de mao no compartimento acima, percebi que finalmente tinha pisado num territorio ate entao desconhecido. Ja havia visitado NYC como turista. Porem, desta vez seria bem diferente. Os planos agora eram para eu ficar em Nova York por pelo menos dois anos. Tinha deixado para tras o conforto de uma cultura, a familia, amigos queridos, e acima de tudo, o amor de uma namorada incrivel. Jamais imaginaria que ao correr para pegar um dos muitos famosos taxis amarelos naquela frigida tarde de primavera que eu retornaria a Sao Paulo somente 9 anos depois.